Inicialmente, marca-se uma sessão de avaliação. Esta é uma oportunidade em que o cliente se apresenta, conta o que o levou a procurar a terapia, seus anseios, desejos dentre outros. Além disso, o terapeuta entende as demandas do cliente, faz uma anamnese e o mais importante; tira os mitos da hipnose.

OS MITOS DA HIPNOSE

Há sempre muita curiosidade acerca do transe, da hipnose, dos seus efeitos. Não raro, vê-se uma crença (um tanto quanto mística) de que o hipnólogo tem o domínio sobre a mente do individuo, de que ele poderia manipular a pessoa hipnotizada etc. Bem, isso não é verdade. O que ocorre é que a pessoa neste estado ouve claramente o que lhe é dito, percebe tudo ao seu redor com muito mais acuidade do que no estado “normal”. O indivíduo no transe hipnótico não conta segredos (que não contaria no estado consciente), não executa nada contrário aos seus valores ético-morais, enfim, não perde o controle (como muitos pensam). Muito pelo contrário; em hipnose o indivíduo tem muito mais controle do que teria em estado consciente. Outra dúvida muito comum é se haveria a possibilidade do cliente ficar “preso” no transe. Não, isso não acontece. Se por qualquer motivo o hipnoterapeuta deixar de dar as sugestões, o individuo simplesmente emerge do transe em questão de minutos.

O MODELO DA MENTE

Após isso, vencidos os medos e curiosidades sobre a hipnose em si, é hora de especificar um pouco mais como é o processo terapêutico. Explicamos o que é mente consciente, subconsciente, inconsciente, suas peculiaridades, suas interligações, e como atuamos no processo clínico. A isto denominamos “o modelo da mente”.

ACOLHIMENTO

Esta é uma parte importantíssima, muitas das vezes, ignorada por alguns terapeutas.
Não raro, o cliente relata: “eu já procurei de tudo, “eu não aguento mais”, “essa é a minha ultima tentativa”, “eu não quero mais sofrer”. Nesse momento, o ser humano que ali esta merece e precisa de todo respeito, toda atenção, todo acolhimento. Não importa o seu status, poder, cargo no mundo externo; ali ele é simplesmente uma alma humana clamando por ajuda. O cliente que ali está, precisa sentir que o hipnoterapeuta é ético, responsável, profissional, capaz, e que tem uma genuína vontade em ajudá-lo na sua melhora de vida.

EXERCÍCIOS MENTAIS

Muitas das vezes, faz-se necessário mostrar ao individuo quão grande é a sua capacidade mental. Não raro, as pessoas conhecem muito pouco de si mesmas. Nos exercícios, a própria pessoa começa a se perceber, a entender que a sua mente é fabulosa e que ele, é a parte mais importante do processo. O hipnotista é apenas um guia; é o cliente que faz a hipnose acontecer!

Nesses exercícios, o hipnoterapeuta verifica se há também um real engajamento do cliente, se há a atitude mental correta para que ocorra posteriormente a terapia.

Se o cliente tiver a atitude mental correta, o engajamento genuíno, um verdadeiro interesse na sua própria melhoria, passa-se a próxima etapa: a terapia em si. Essa
sessão de avaliação dura entre 60 a 90 minutos.

A TERAPIA

A terapia pode ocorrer logo na sequencia da sessão de avaliação ou em outra ocasião, segundo a disponibilidade do cliente e do hipnoterapeuta.

Essa é o cerne de todo o processo. Após breve conversa, em que há a oportunidade, se for o caso, de esclarecer eventuais dúvidas reminiscentes, inicia-se a indução hipnótica propriamente dita. Feita a indução, é hora do aprofundamento. O terapeuta deve ter qualificação e experiência para saber o nível de transe necessário à eficácia da terapia.

Com o aprofundamento adequado, abre-se então a possibilidade da utilização das ferramentas para o sucesso da terapia: regressão à(s) causa(s), reeducação de sentimentos, dentre outras.

Há nessa ocasião muita emoção envolvida. Não raro, são sentimentos “impregnados” por tantos anos (que muitas vezes o individuo sequer sabia que os tinha) que podem vir à tona como um vulcão ; por isso é tão importante o preparo do terapeuta num momento como esses.

Ao final, após algumas horas (entre duas e quatro horas) emerge-se o cliente do transe hipnótico, conversa-se um pouco e já se faz o agendamento do retorno (preferencialmente em 3 semanas, excetuadas questões emergenciais, particulares, etc.)

Nos dias seguintes à terapia, é sempre salutar algum contato; há , além de inúmeros relatos maravilhosos, uma ou outra dúvida que podem advir por parte do cliente.

RETORNO

Esse é um reencontro sempre muito salutar. Há muitos feedbacks incríveis, em que o cliente descreve a sua jornada, suas transformações, sua mudança sobre a percepção de si mesmo e sobre a vida ao seu redor, enfim, são inúmeras situações que tornariam o texto ainda mais longo.

No retorno, tem-se oportunidade de algum reforço se for necessário, bem como a possibilidade do cliente aprender sobre auto hipnose e assim, usar essa valiosa ferramenta em inúmeras questões da sua vida. Finaliza-se a terapia formalmente falando – ainda que alguns clientes permaneçam no envio de mensagens incríveis, contando sobre a transformação em suas vidas, etc; confesso – eu adoro essa parte!

WhatsApp WhatsApp